28 fevereiro 2009

Pause


"O belo parece certo pela força da beleza, e o débil errado por causa da fraqueza."
"Realmente, eu não gosto da natureza humana a menos que esteja toda temperada com arte."
"É fatal ser um homem ou mulher pura e simplesmente: deve-se ser uma mulher masculinamente, ou um homem femininamente."


As vezes, pela manhã, enquanto escovo meus preciosos dentinhos tortos, fecho os olhos, e ainda com a escova na boca, desejo abrir-los e estar em outro lugar, um outro banheiro, uma outra cidade, um outro país, não sei, é totalmente pirado, mas isso não é de hoje.
Quando ainda vivia na casa dos 11 anos, me pegava fazendo a mesma coisa, escovando os dentes, e fechando os olhos com força esperando que quando os abrisse estivesse 10 anos mais velha, em qualquer lugar, menos naquele banheiro. Geralmente, essa sensação manifestava quando queria fugir de alguma obrigação tipo escola, ou ir pra igreja, ou comer alguma sopa maluca que minha mãe tinha inventado (eca) eu só pensava em fugir.
No final, sempre imaginava que se o tempo acelerasse naquele minuto eu estaria bem melhor, e é engraçado como a mania continua, mas a realidade é outra. Hoje, sou 10 anos mais velha, muita coisa mudou, as dores de cabeça não são as mesmas, mas em troca de sopa de mil coisas batidas, e aulas chatas, ganhei novas obrigações, e responsabilidades.
Nada de ser médica,Shirra,cantora,enfermeira,jornalista,advogada,pescadora,rs.
Eu sei que fechar os olhos pros problemas, e desejar que eles desapareçam, não vai funcionar, mas gosto da sensação, mesmo que seja por alguns minutos, de poder ter uma segunda opção, uma mágica saída,pensar que tudo vai acabar bem me ajuda muito.

É, mamãe deixou a filhinha assistir muita ficção nessa vida?Deixou sim,mas não esta me fazendo mal.

2 marteladas:

Vinícius de R. Rodovalho disse...

Eu tiro várias "mágicas saídas" da Literatura. E confesso que, embora não fechasse os olhos, utilizava um mecanismo muito semelhante ao relatado, na infância.

Imaginação sempre foi aliada minha. E sua, pelo que pude notar. Seja a responsabilidade de cuidar do novo brinquedo ou do país, imaginar outras situações ajuda muito a resolver muitos problemas...

Papu Morgado disse...

Todos precisamos de um mundo imaginário, só nosso, para escapar para de vez em quando. Senão fica tudo muito duro, muito difícil. Comparo isso a ir além da arrebentação, ficar boiando em águas calmas até que tenhamos energia suficiente para enfrentar a arrebentação..